Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

love me


Enquanto sobreviver nessa vida sem pé nem cabeça, me ame. Me ame sem culpa, sem pressa, sem volta, sem música, sem vida, sem nada, apenas ame. Enquanto viver cada segundo do que passa no meu dia, olhar meu diário todas as noites, me ame. Enquanto você puder se olhar no espelho e me ver, me ame. Enquanto você puder lembrar com felicidade dos momentos bons, e dos maus também, me ame.
Sinta falta se eu resolver me perder por aí, me dê um motivo, uma razão para voltar, e ficar quietinha no meu canto. Love me.

Dedicado à uma pessoa que eu amo muito, e quero muito que me ame: eu mesma.

Jessica Torres

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

ANO NOVO VIDA NOVA!

Mais um ano está indo, tantas coisas boas aconteceram na minha vida que vieram pra somar e multiplicar as minhas alegrias, meus sorrisos largos e sinceros e quantos enganos eu tive com um alguém, que forjou ser um anjo, pôs em seu rosto feio e sujo, uma máscara de bom moço, se encheu de arrependimento e veio até mim. Ah! Pobre de mim, caí feito um patinho acabei não enxergando a mentira que havia sobre mim, por causa de um sentimento tolo e falso que eu mesma sentia, eu acabei abrindo as portas da minha vida novamente pra um desconhecido que fez dela um inferno, bagunçou ela toda e depois foi embora, Mas eu trouxe de lá a memória de qualquer coisa macia que tem me alimentado nestes dias seguintes de ausência, hoje vejo a pessoa que tenho me tornado, como eu estou feliz por mim mesma, como eu sorrio pras paredes só de ver o meu estado de felicidade, quando eu pensei que nada mais ia dar certo na minha vida foi ai que me enganei novamente, quando olho pra trás vejo o quão burra eu fui um dia, e o quão bem isso me faz hoje, por ter aberto os olhos pra ver as atitudes infantis e imaturas dele, eu vejo como realmente foi importante isso ter acontecido comigo, É assim mesmo, hoje eu vou seguir, começar o novo ano com o pé direito, com a vida nova e transformada, sem ter as possibilidades de novamente abrir as portas.
Que venha 2011. :)

Day Allencar

a grandeza de viver isso


É inexplicável, como aconteceu o toque das mãos e dos lábios, e dos corpos e das almas. Você era meu melhor amigo, você era meu melhor parceiro, hoje é meu melhor namorado. Um ano se passou desde que te conheci, você tão lindo, eu tão boba. Seus cachos me encantaram, seu piercing era quase um anel de noivado o qual você me mostrava só pra eu poder ficar mais apaixonada e louca por ti. Tudo foi um grande desencontro, que se tornou o maior dos meus encontros.

Depois disso, eu tentei pegar cada detalhe, queria ver se era só aquilo. Dentro de mim já não era. Você me beijava a testa quando me deixava na porta de casa, eu queria que fosse na boca. Fosse pegava na minha mão, eu queria que fosse na nuca. Minhas lágrimas derramadas, suas mãos me ajudando, me levantando, e assim começou.

Você me ligava, pra dar ‘boa noite’ logo depois daquela noite de despedidas de outro amigo, entre um ‘boa noite’ e um ‘durma bem’ , você disse que pensava em mim. Como poderia resistir aquilo? Meu coração quase saiu pela boca.

Aí, você começou a me dar as satisfações do seu dia, e eu tava com medo de ser tudo um grande engano, ser tudo uma grande farsa, um grande mal-entendido que só faria a gente se afastar. Não queria perder o equilíbrio que outro já tinha me tirado. Ai, depois de muitos meses ao seu lado, eu percebi que perder o equilíbrio por amor, é um jeito de equilibrar sua própria vida.

O seu jeito de ficar cheirando meu joelho, e beijar meu ombro, pegar na minha cintura, beijar minha mão. Você descobriu essa e milhares de outras coisas que nenhum outro um dia pode imaginar. Só você.

E essa pessoa pequena se transformou enorme pra te proteger dos teus medos, pra te dizer que sim, vai ficar tudo bem, que eu te amo sim, que você não vai me perder...

Como alguém no mundo poderia não te amar? Se alguém disser um dia que você é nada, juro-te, que você é perfeito, pra mim.


Jessica Torres


sábado, 25 de dezembro de 2010

Dias Melhores


Vivemos esperando
Dias melhores
Dias de paz, dias a mais
Dias que não deixaremos
Para trás

Vivemos esperando
O dia em que
Seremos melhores
Melhores no amor
Melhores na dor
Melhores em tudo

Vivemos esperando
O dia em que seremos
Para sempre
Vivemos esperando...
Dias melhores pra sempre.

(Jota Quest - Dias Melhores)

p.s.: esse é o meu desejo pro ano de 2011, dias melhores PRA SEMPRE!

2000 e não sei quanto


Que esse ano aí que tá cheguando, venha melhor do que o que passou. Com mais amor, mais sexo, mais coca-cola, mais vida, mais rock, mais Esteban, mais amigos, mais tudo. A gente precisa esquecer de fazer guerras porque a paz traz mais coisas boas, traz mais felicidade. A gente precisa amar mais porque se não houver amor de quê a gente vai viver? A gente precisa de mais gente, porque ficar sozinho é solidão demais. É escuridão demais.
A gente precisa de mais branco nessa virada de ano, de 551611861 pulinhos nas ondas, de muito mais beijo na boca quando acabar a contagem regressiva, de muito mais família te desejando feliz ano novo.
Eu quero é mais música pra pular com todos que me fazem feliz. Pra gritar com todos que gritam comigo.
A gente precisa é de um grande foda-se para aqueles que não entendem que o único motivo de ser feliz agora, é simplesmente ser, e viver.
Então, que se foda o mundo! Eu quero só vocês que me fazem felizes! Espero que não esqueça ninguém, mas, eu amo: Gleilson Moura, Millin Albuquerque, Shara Lima, Carlos Daniel, Juliane Mata, Nayara Matos, Isabela Melo, Dayane Allencar, Ayrton Lucas, Jamilly Lima, Marta Brenda, Isabela Cruz, Árina Souza, Emilia Alves, Carol Marizeiro, Janette Amorim, Meninos da minha sala, Dayane Mendonça, Lívia Reis, Meninas que estudaram no Moranguinho, e tantas outras pessoas.
Eu só quero estar ao lado de vocês nesse, e no outro ano, e no outro, e no outro... E agora, com todo mundo junto, eu quero um grande círculo, e vamos começar a contagem... 10, 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2, 1.... Feliz Ano Novo pra você, MUNDO.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Carta pro Papai Noel


Querido Papai Noel, queria pedir um pouquinho mais de paz e calma nesses dias tremendamente agitados que todos nós andamos tendo. Queria pedir pra cuidar da s. e do m., que são dois sem juízos que precisam muito de mim, e eu nem vou estar aqui por esses dias. Queria pedir também pra cuidar do g., o meu tesouro mais bonito, mais valioso; a pessoa que eu mais amo nesse mundo inteiro, cuida dele e afasta as piranhas que chegarem perto tá?
Seu Noel, queria pedir também que meus irmãos pudessem ter um Natal mágico, eles são só crianças e ainda precisam acreditar em você. Pedirei também que minha mãe ficasse maravilhosamente bem, e muito mais perto de mim nesse próximo ano, você sabe, eu sinto tanto a falta dela. Queria pedir pra cuida do meu pai, ele tá doido por causa da moto nova que o senhor deu pra ele. Cuide também da minha vó, que é minha mãe, que reclama muito e me ama muito também. Que no próximo ano ela reclame menos, por favor.
Não esquecerei também daquelas quatro meninas que passam todas as manhãs comigo no colégio. Dê muita paz pra b. e pra a., elas precisam. Dê também um cantinho bom pra poderem ser felizes.
E sem esquecer de mim, me dê um celular novo ( o meu tá um caco, Seu Noel), pedirei só isso, porque o resto essas pessoas maravilhosas que eu botei nessa carta já me proporcionam.
Valeu ae, Noel.
p.s.: eu juro que eu fui uma boa menina esse ano.

Jessica Torres

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Norte e sul


Você devia ir por rumos novos, não por trilhas velhas.
Jessica Torres

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

irmandade


Estamos aqui. Um ano. E eu ainda olho pra você e me surpreendo com tantos gestos, tantas ações. Ações bobas como me fazer rir, ou grandiosas como me deixar bem enquanto ninguém deixa. Um ano que começou de formas intensas e carnais. Um ano que termina de formas afetuosas e carinhosas. Meu melhor amigo, meu irmão. Ele faz tanta besteira mas, sempre, sempre sabe que tá indo no caminho certo e uma hora você chega lá. Quem sabe. E eu serei como teu gps, serei como teu cobertor, serei o que precisar, o que pedir. Porque eu nunca gostei de te ver com os olhinhos cheios de lágrimas. Nunca gostei de te ver correndo pra ninguém ver a dor no seu rosto. Nunca.
Eu queria só por uma, por uma dia, uma guria que mudasse tudo, e te fizesse feliz de verdade. Que você pudesse amá-lo e ela te amaria em troca. Mas, enquanto isso não vem, você pode chegar aqui em casa pra gente tocar nosso violão, cantar a nossa música e beber nossa Coca-Cola. Meu melhor amigo, meu irmão, minha vida.

Jessica Torres

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Always us


As máscaras estão em nossos rostos e acabamos de entrar no baile. Mas, espere um momento, todos estão com as máscaras iguais, menos eu. Todos estão muito satisfeitos com elas, menos eu. Eu quero arrancá-la e mostrar quem eu sou. Quero arrancá-la e mostrar o amor que tem no meu peito e que o faz pulsar, e que o faz gritar. Você não escuta. Você é todos eles. Mas, você não escuta. O grito de desespero que vem pelo coração, passa por minhas veias, explodi por todos os lados... mas, não. Você não ouve.
Não sei qual é o verdadeiro entre todos vocês. Queria te encontrar. Sentir o cheiro da sua nuca de novo. Mas, não. Como irei descobrir onde você está? Qual deles você será?
De repente, olho pro lado, vejo o homem colado a uma mulher loira. Se dizem tão amigos, é isso que ele me diz. O resto pode ver tão além de amizade. Nada que eu acredite, mas, de tantas vezes contadas, às vezes a mentira nos chega aos ouvidos, verdade. I don't believe.
Quando o relógio soar meia-noite, as máscaras caem. Estou suando. Estou desesperada.
Meia-noite, e era você ao lado dela. Seja ela o que for, eu sou queria não me importar. Eu só queria não enxergar. Eu só queria te amar. Queria um amor a dois. Com jantar de velas pra dois. Não quero todos a nossa volta, como nesse baile, como nessa sala, como nessa vida. Será que depois de todo esse tempo é pedir demais pra você ser só meu? É pedir demais pra ter o meu homem só pra mim? Só queria não ter mais que escutar: ele tá namorando com aquela loira? Pensei que fosse a morena.

Pensei que fosse eu. Pensei que fosse nós. Eu só queria que fosse somente nós.
Always mine.
Always yours.
Always us.

Jessica Torres

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010



"Amor é quando você tem todos os motivos para desistir de alguém, e não desiste.”

incredible


É incrível como tem pessoas que não tem vida própria e por isso, acham que podem viver a vida dos outros. É incrível, é incrível...

Jessica Moura Torres

love is love.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

depoimentos


vida, me leva pra longe daqui com a força de um vendaval, com a mansidão de uma uma noite fria, e com um som onde apenas no céu em meio aos anjos eu possa escutar. me abrace, e me envolva com o teu carinho infinito, e deixa a sua compreensão me descrever automaticamente, como sempre fez. mas me faça um favr, não saia daqui até que o nosso filme termine, porque sempre haverá uma nova versão de nós. eu te amo <3


todo final é feliz


Eu iria, sim, te defender. Eu iria, sim, contra-atacar a qualquer um que te apontasse o dedo. Quebrava a cara de qualquer uma que se metesse a besta e fosse te fazer sofrer. Porque você é meu irmão mais velho, que precisa de mó cuidado porque também é mó crianção. E sempre que te ligo, e você vem com aquela voz molinha já sei que teu coração tá judiado, e tem uma menina fazendo ceninha. Faz tanto tempo que não te vejo entusiasmado como ontem, com teus olhinhos brilhando. Você me contando cada detalhe dessa sua vida conturbada, e apesar de todos os pesares tava ali, eu vi. Você olhava nos meus olhos e eu via o amor saindo em formatos nuvens de corações vermelhos. Ela tá te mudando guri. E eu sua irmã mais nova, tá aqui pra te ajudar e puta que pariu, que menina pra fazer hora. Como eu te disse: é tão simples, tão fácil. No fim, todo mundo se fode. Sempre. Mas, sempre tem coisas boas por vir. Porque se acabou ruim, é porque ainda não é o fim, porque todo final é feliz.

Jessica Torres

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Here i am, again.


Aqui estou eu. Depois de conversar contigo, e ver que mesmo depois de todas as mudanças você ainda me olha nos olhos, e me beija fervorosamente. E logo, depois, chega de mansinho no meu ouvido e diz eu te amo, e pede pra eu dizer também, implora. E quando eu digo você parece uma criança na manhã de Natal, que ganhou o presente que tanto queria, que tanto esperou o ano todo. Aqui estou, sua e sua. E sempre. E tanto.
10 meses atrás, você era outro você. Mas, sabe eu gostava dele. E esse novo você... eu amo. Apesar de todos os pesares e brigas. Eu amo.
Aqui estou. Esperando você dizer te amo de novo.
Aqui estou. Te olhando de novo.
Aqui estou. Querendo tua respiração no meu ouvido. Teu suor no meu corpo.
Aqui estou. Te implorando pra ser do jeito que quiser, porque qualquer jeito que você for você, tá bom pra mim.
Aqui estou. Te implorando pra ser meu. Sempre.
Aqui estou. Te idolatrando, te amando igualzinho a horas atrás enquanto eu te odiava.
Porque até meu ódio por você é amor.

Jessica Moura Ramos.
p.s.: escrevi o nome inteiro dessa vez guri.

Você realmente gosta dele, não é ?
(Nenhum nome foi mencionado, mas subitamente alguém veio à sua mente.)

Intervenção.


Coisas que se perdem por medo de se perder. A gente acha que pra manter o equilibrio na vida, não se pode enlouquecer por amor. Enlouqueça. Porque a verdade é que pra se ter equilibrio na vida, precisa perdê-lo por um rapaz que chegue de mansinho. E sim, ele é aquele, com aquele fama. Você tem medo. Você tem vontade. E mesmo assim, espera e olha, e tenta e volta. E acabando ficando no mesmo lugar. Pule no barco, pego o remo e não olhe pra trás. Não olhe pra cara feia das outras meninas que não tiveram o prazer de ser a 'escolhida'. Você tem que viver isso, porque nunca vai saber o que pode ter perdido. Viva. Vai ser difícil? Sempre é, porque com ele não seria? Vai ser bom? Sempre é, porque com ele não seria?
Sim, isso foi pra você, menina dos cabelos negros e sorriso bonito.

p.s.: rapaz, não me mate. Só não aguentava mais olhar, e não falar nada. Ops, estou escrevendo, então, você não tem nada do que reclamar.

Jessica Torres

Here i am.


Aqui estou. Mais uma vez, discorrendo sobre a merda que é esse medo de te perder. E por mais difícil que seja, está ficando pior a cada segundo. Tudo está ficando tão estranho. As lágrimas já começaram a escorrer dos meus olhos, e o que eu faço? Cadê você pra me dizer que tudo vai ficar bem? Cadê você pra dizer que é assim mesmo, que isso passa? É como se eu tentasse te alcançar e ficasse cada vez mais difícil, meus braços cada vez mais cansados.
Eu estou morrendo de saudade do outro você. Do você de 10 meses atrás. Volta, volta. Eu estava morrendo de saudade de você, e quando você me viu, não tinha o calor. Você mal olhou pra mim. Cadê você?
Você está se perdendo e escorregando entre os meus dedos, você está correndo na direção contrária, você está remando ao norte, e você sabe, eu prefiro o sul. Não sei o que eu faço. Mudo o remo, mudo o barco, mudo a mim, mudo a você. Mas, algo tem que mudar pra podermos ficar no mesmo lugar.
Aqui estou. Esperando mais uma vez.
Aqui estou. Te olhando de novo.
Aqui estou. Querendo a tua vida entrelaçada na minha mais do que qualquer outra.
Aqui estou. Te implorando pra não ser assim.
Aqui estou. Te implorando pra ser meu.
Aqui estou. Te amando. No mesmo lugar. E é aqui que quero estar. E você?

Jessica Moura Torres

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Remos


É pequena, você anda me fazendo uma falta danada. Era tão bom passar aquelas tardes com você. Lembra daquele barco que nós compramos pra poder passear pra bem mais longe? Era tão bom. E depois disso a gente comprou um avião de papel só pra poder sentir as nuvens passando entre os nossos dedos, e saber o gosto que elas tinham. Lembro também que a gente ganhou uns remos novos, pois os nossos estavam desgastados de tanto remar pra lugar algum, e quando finalmente achamos um rumo certo, eles já não serviam mais. Eis o motivo do nosso tão inesperado fim. Só fomos ter noção de tudo àquilo depois que já estávamos distantes. Não foi culpa sua, nem foi culpa minha, disso hoje eu sei, foi culpa da vida, melhor dizendo dos remos desgastados. Aprendi que se quando toma um rumo novo, seja de avião, seja de barco, seja a pé, temos que sempre nos renovar, abdicar totalmente aquilo que usávamos antes, e suprir a vontade de ser novo. Então pode ser que um dia, quando eu estiver remando perto daquela ilha que a gente passava dias e dias olhando o céu, eu posso te ver novamente, mas com um novo ar, com novos remos, com novas expectativas, e sem nenhum fim em mente.

Millin Albuquerque

domingo, 21 de novembro de 2010

97%


Amiga 1: É amiga, a gente corre atrás, faz de tudo para agradar a pessoa e no final não valeu nada.
Amiga 2: Normal, homens são assim mesmo.
Amiga 1: Eu não entendo eles! O que fazer para conquistar um homem?
Amiga 2: Quem entende? Duas opções: ou você veste uma mini-saia curtinha e começa a mostrar a bunda ou você pisa nele e não dá a minima atenção! 97% dos homens gostam desses tipos de mulheres.

sábado, 20 de novembro de 2010

título do texto: amor.




Você nem precisou falar nada, nem eu precisei. Era como se as coisas tivessem voltado ao mesmo lugar sem nenhum esforço, porque a gente se amar, e sustentar esse amor já é esforço o bastante. E quando começamos a discutir nossas incertezas, nossas mancadas, a gente se beijava no meio de cada frase porque esperar até o fim da discussão era tempo demais. E depois, de tanto tempo...

- Eu senti sua falta. Muita mesmo.

Faziam apenas dois dias que a gente não se via e mesmo assim estávamos loucos de vontade um do outro. Vontade de poder ter aquele ser em nossos braços, sem brigas, sem reclamações.
Então, nos beijamos. Eternamente. Ternamente. Vigorosamente.
Você me aninhou em seus braços, cansados e suados, acendemos nosso cigarro, botamos a nossa música favorita, e ficamos viajando por entre nosso sentimentos, nossos laços.
Você me encanta guri. Eu olho pra ti, e vejo uma pessoa que no mundo não existe igual. Como alguém tão idiota, e louco, pode me amar tanto assim? E pode ao mesmo tempo ser tão carinhoso, tão amável e tão compreensivo?

- Eu não consigo mais me ver sem você.

Nossas vidas estão ligadas de um modo inexplicável. Inacabável. Eu te amo. Para todo sempre.
Sempre tua.
Sempre meu.
Sempre nós.

Jessica Torres

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Mais.


Eu não aturo meio-termos. Não se entregue mais ou menos, por favor, não. Eu surto. Porque eu digo que não dou a mínima pro que diz, enquanto por dentro estralhaço cada veia do meu corpo. Porque eu posso até dizer que não é nada, mas, eu tô me matando por dentro. Eu faço silêncio enquanto você acha que eu te escuto. Nessa hora, eu estou pensando em um jeito mais fácil de tirar suas roupas, ou em como aquilo que você disse me magoou. Ás vezes não estou afim de conversar. Eu surto. Eu corro. Eu paro. Eu morro. Mas, por favor, nada de mais ou menos.
Não diga que não é inteiro pra mim. É tudo ou nada. E se não for inteiro, eu serei nada pra você com apenas uma ligação.
E porra, eu te amo. E quero você. E surto por você. Porque você ainda tá fechado, ainda tá pisando no freio. E eu quero você todo. Eu quero seu lado bom e seu lado mal. Quero você como irmão, amigo, namorado, amante, pai, e família. Não tenha medo. Se entregue.
Seja meu cada dia mais.
Cada segundo mais.
Cada vez mais.
Mais.

jess torres

Falas sem ensaio. Vidas em ação.


B: Eu já fiz tudo, tanta coisa pra quem não merecia. E me fudi tanto por causa disso, que hoje eu me fechei e não faço pra quem merece.

(Ela se calou após ouvir isso. Ele achou que ela estava só escutando a história. Mas não. Ela tentava assimilar aquilo. Doeu. Mas do que ela queria... e ela começou a pensar que o maior medo dele estava ocorrendo ali. Ela gostar mais dele do que ele dela. Ela se entregar mais pra ele, do que ele pra ela. Então, ela falou.)

A: Mude seus princípios.

(Por medo de perder, tudo se perde.)

jess torres

Pára de falar idiota


A: Eu te amo.
B: Eu tenho medo...
A: De eu te amar?
B: De você acabar me amando mais do que eu a você.

(Silêncio no seu coração. Corte na alma. Pulem a cena, não se pode prever o fim desse filme.)

jess torres

sexta-feira, 12 de novembro de 2010


Menina: Sabia que ontem desisti de vez ele?
Amiga: Deixou de amar ele?
Menina: Não disse isso...
Amiga: Então o que você quis dizer?
Menina: Continuo amando ele, sempre vou amar, mas desisti dele, desisti de esperar ele, de sofrer por ele, de acreditar nele, de quebrar a cara por ele... ele me entristece.
Amiga: E ainda assim você o ama?
Menina: Eu não, mas meu coração sim...

autor desconhecido.

pode ser.

Muda.


Só dizer que estar errado não muda o erro. Só dizer que tem falhado não muda o fato que isso me magoou. Só dizer que está com saudades, não muda o fato que sinto sua falta em todas as tardes que passo por aí. Só falar, não muda o fato que não está do meu lado pra me abraçar. Só conversar besteiras não muda o fato que por tempos tenho esperado uma conversa longa, pra te contar os meus medos, e rir de ti. E você em troca, me contar os seus... Aí, eu iria te defender, iria contra-atacar, a qualquer um que te apontasse o dedo. Eu só fazia isso, né? E você não faz mais nada.

Jessica Torres

quinta-feira, 11 de novembro de 2010


A: Dá pra parar de fumar?

B: Dá pra parar de se importar com a minha vida?

A: Claro que não, não vou ver minha melhor amiga destruindo o pulmão e ficar calada.

B: Eu vejo a minha melhor amiga destruindo seu coração todos os dias e não falo mais nada.

A: Mas é completamente diferente.

B: Ai é? E por que?

A: Porque meu coração cicatriza.

B: Cicatriza?

A: Cicatriza, sempre. Tá vendo? Tem uma cicatriz bem pequenininha aqui.

B: Tem certeza que tem essa cicatriz?

A: Ok, só não fume perto de mim.

Shara Lima

terça-feira, 9 de novembro de 2010


É tão difícil ver o quão importante somos para as outras pessoas. Ver como se pode esquecer lembranças tão facilmente. E como se pode ser trocada por outras almas cativantes tão rapidamente.

Sinto falta. E só.

jess torres

Como pode alguém ser tão demente, porra louca, inconsequente e ainda amar?


- Cazuza


…eu nunca tive porra de ideal nenhum, eu só queria era salvar a minha, veja só que coisa mais individualista elitista capitalista, eu só queria ser feliz, cara…

Caio F.

But we are best friends... right?


Faz tempo que você não aparece no meu sofá. Fica perambulando por ruas paralelas a minha, e nunca vem aqui. Vem... você sabe que eu te convido pra um chá. Tantas coisas já vividas, tantas coisas, e você me esquece no fundo da sua gaveta de memórias, enquanto corre atrás de amores mal-resolvidos. Espero que qualquer dia desses, numa tarde dessas, ou numa noite qualquer, você apareça com seu violão, pra tocar algo tipo blues, e bebermos coca-cola embaixo da árvore, e descansarmos nossas vidas frustradas ali, um ao lado do outro. Descansarmos de todas as histórias inacabadas que aumentam esse sofrimento a cada dia. Apenas descansarmos do mundo. Porque afinal, é isso que melhores amigos fazem.
But we are best friends... right? (Mas, ainda somos melhores amigos, certo?)
p.s.:eu te amo. sz'

jess torres.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

garota foda


"Toda garota foda é resultado de um ex-namorado idiota, de um pai machista, de uma sociedade preconceituosa, de uma mente além do seu tempo e de uma dor tão grande que queimou seus sentimentos."

autor desconhecido

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

decifrando-te


Eu consegui olhar bem dentro do olho dele, e ver de novo aquele grito de 'eu te amo' que há semanas tinha se transformado em um angustiador silêncio que me gritava 'tudo está perdido'. Mas, nem tudo está. Nada está. Sempre se tem uma chance. A gente sempre pode se dar mais uma chance. E olhar esses seus olhos cheios de marca da idade; você com esses 20 anos querendo essa menina indefesa de novo. E de novo. E sempre.
p.s.: "Você ainda é a primeira coisa que eu penso quando me dizem: Faça um pedido!"

Jessica Torres

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

i love!


Adoro ter que ouvir gente que reclama de barriga cheia, adoro acordar cedo e ir pro colégio, adoro fazer serviço de casa. Fico radiante quando eu vejo pessoas falsas, burras e fúteis achando que tem conteúdo. Adoro ficar na TPM, passar fome e não ter dinheiro. E eu amo quando cuidam da minha vida! Não preciso nem me preocupar em fazer coisa errada, porque os outros sempre vão cutucar até achar algo de ruim pra contar. Ah, adoro irônias!

(autor desconhecido)

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

never


'Eu nunca vou esquecer, eu nunca vou me arrepender. Quem sabe um dia, a gente se encontre de novo.'

sábado, 16 de outubro de 2010

dúvida


"E se eu pudesse fazer um pedido agora, não sei se te mandaria pra puta que pariu ou se te mandava direto pro meu quarto."

sempre.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

turistas


Faz tempo que o meu mundo não aceita mais turistas. Eles simplesmente chegam, pegam tudo de melhor que há, e depois vão embora só dizendo tchau.
Quem sabe voltam, ou não. Cansei disso. Aí, eu fechei tudo. Fechei meu coração e minha alma. Foi quando apareceu um último. Aquele último. Que pediu pra entrar e morar. Eu percebi que era ele. Porque nenhum queria isso. O resto só queria visitar.

Jessica Moura Torres

"E quantas coisas perdemos por medo de perder."

quatro opções


Você tem quatro opções: casa do caralho, puta que pariu, raio que o parta e o inferno. Escolha.

(autor desconhecido)

terça-feira, 12 de outubro de 2010

choice


Escolhas. Que sejam feitas agora. Sem tempo pra pensar. Sem tempo pra errar. Escolha. Independência ou morte? Que as armas sejam postas pra fora. Que se lute pelo que quer. Que se escolha o futuro. Que se esqueça o passado. Que se escolha viver. Que se escolha morrer. Escolha. Que se escolha viver loucamente. Ou que seja dormir eternamente. Escolha. Não deixá-lo ir. Não deixá-lo sofrer. Não sofrer. Não deixar. Amar. Escolhas, que sejam feitas agora.

p.s.: Você me deu forças novamente e eu já estou aqui pronta pra lutar por você, por nós. Saiba que nada mais irá tirar você de mim. Eu te amo e só isso importa agora.
♪ que o nosso amor pra sempre viva, minha dádiva.
jessica moura torres

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

segundo altar


Não tenho nenhuma compaixão por Romeu e Julieta.

Eles não experimentaram nenhuma crise de relacionamento antes do fim.

Nenhuma discussão no trânsito. Uma briguinha para quem iria se levantar para chavear a porta. Não reclamaram dos excessos, da bagunça do quarto ou por voltar tarde e não ser delicado entre amigos. Não provaram do veneno dos costumes, do terror de se entregar demais e perder a cabeça, ou do pudor de se entregar de menos e se afastar.

Conheceram o ímpeto do amor, não o amor.

Não descobriram a medida, o equilíbrio exato de dois corpos, que demora anos de convivência para aparecer.

Para mim, Romeu e Julieta continua sendo apenas um bom charuto.

Mas estrago meu rímel natural com casais que morrem juntos na velhice. Esfolo os joelhos do rosto. Sangro os lábios.

Depois de meio século de vida em comum, um não sobrevive à morte de sua companhia. Desistem. Perdem o sentido de respirar com o enterro da esposa ou do marido. Ficam emparedados pelo passado. A cozinha não terá saída; o quarto não terá lado; a sala não terá janela; a manhã não terá a companhia do café e da leiteira fervendo.

A casa que mais adorava em minha rua José Bonifácio terminou destruída. Residência antiga de dois andares, verde como um pinheiro no alto da montanha, desfrutando inclusive de água-furtada. É agora um poço de ruínas, paredes fatiadas, escombros e uma estranha mesinha para aves descansarem da fartura dos farelos. Não duvido que seja transformada em mais um estacionamento.

Meu filho passa pelo terreno minado com o olhar arrastado, antes recebia balas e brincadeiras de seus moradores Sady e Heidi, que cuidavam com capricho do jardim, dispondo anões e bichos de pedra pelas roseiras. Os dois viveram sessenta anos de casamento. Quando Heidi faleceu neste ano, Sady não durou cinco dias. Seu espírito altivo, lépido e incansável, de quem se acordava às 6h e saracoteava pela cidade, apagou-se repentinamente. A carne cedeu, o rosto murchou, ele adoeceu de ausência. Ambos cumpriram um pacto de vida mais do que de morte. Não admitiram a distância dos sete dias da missa - era muito longe. Não admitiram o aparte de uma semana - era muito tempo. Embarcaram no invisível de ombros dados. Heidi nem entrou no paraíso, esperou na porta seu marido, como se fosse um segundo altar.

O mesmo posso falar de Stella e Dorival Caymmi. Stela deixou a cena 11 dias após a despedida de Dorival. Foram casados durante 68 anos. Dorival morreu porque Stella baixou o hospital em estado grave. Stella morreu quando soube (pela intuição que só os pares de dança têm) que Dorival guardou sua voz no estojo. Um dependia do outro.

Não aceitaram a viuvez. A viuvez era também uma infidelidade. Uma traição ao casamento. Mostraram a Deus que não é ele que manda aqui, ajuda ou atrapalha, não manda. O livre-arbítrio é da lealdade. Escolher a hora de pôr a aliança, e escolher a hora de se pôr na aliança.

Fabrício Carpinejar

ônibus


Tive que correr, lógico. Porque nenhum motorista pára onde a gente dá o sinal? Subi, e na pressa de pegar logo o dinheiro na bolsa, acabei dando uma cotovelada na senhora atrás de mim. Não pedi desculpas, nem nada. Sem paciência pra falsas cordialidades. O moço atrás dela apanhou algo que tinha caído e ela disse:

- Obrigado meu filho.

Mania chata essa de as senhoras terem um bocado de filhos na hora que precisa que algum se abaixe pra ela.

Não tinha vaga pra sentar. Que merda. Em pé, pude observar um casal, sentado lá atrás. Adolescentes. Jovens. Idade de namorar. Mas o beijo que eles davam era imoral. Não, imoral não. Tosco. Acho que quase vi ele enfiando a língua no nariz dela. Tudo bem. Pode chamar de inveja. Era isso que era. Eu ali sozinha. Me segurando pra não acabar caindo no colo de alguém. E ela lá podendo estar abraçada com o cara que ela supostamente ama, e que talvez daqui a um mês ou menos fosse apenas mais um caso. Ou não, poderia ser o caso de toda a vida. Mas, não me importava. Olhei aquele boné. Não parecia nem um pouco com o tipo de boné que eu gosto. Mas, ver aquele garoto beijando aquela menina depravadamente, e usando boné, me fez lembrar daquele que também usa.

E uma coisa cresceu em mim. Acho que era ansiedade. Vontade de sair logo dali. Mas, apertava. Era vontade. Era saudade. Era tudo ao mesmo tempo. Na verdade, nem sei o que era. Você não estava ali. Pronto, era isso. Você não podia me beijar. Sem lambidas no nariz, só a minha boca na sua.

E de tanto costume que eu tenho de ti. Tanto vontade que eu tinha de estar com você. Fiz uma coisa que nunca faço, porque sei que você fará por mim, por nós. Você até já brigou comigo por eu sempre esperar. É porque assim sei que você vai estar do meu lado, naquela hora, naquele momento. Então, eu fiz. Ao descer, me virei para o motorista e disse:

- Obrigada.

É, você me faz muita falta. Logo a mim que odeio falsas cordialidades.


Jessica M. Torres

amigas de verdade


Amigas de verdade não pedem para dormir na sua casa. Já chegam chegando, cumprimentando sua mãe, chamando seu pai de tio, abrindo a geladeira. São aquelas que seguram seu cabelo enquanto você vomita toda a tequila da noite pra fora. “O que você está fazendo?” “Nada.” “Vamos fazer nada juntas?” Amigas de verdade não perguntam se você está bem. Elas simplesmente sabem. Você não precisa contar a história daquele gatinho, ou daquela super festa. Ela estava lá. Ela te ajudou. Ela ficou do seu lado, brigou contigo, fez as pazes. Ela te passou cola na prova, te fez rir enquanto estava de TPM, te amou, quando você achou que ninguém mais amava. Me diga agora, quantas amigas você tem que são assim? Aposto que você conta nos dedos.
Autor desconhecido

terça-feira, 5 de outubro de 2010

you're back


Sorriso nos olhos, na boca, no corpo. Em todos os cantos. Te imagino assim. De volta ao canto que sempre foi teu. De volta a vida que sempre foi tua. Não esqueça das memórias ruins, das noites escuras e frias que passou sozinha. Não queira voltar aquilo. Preserve-se, como se não fosse uma raça, mas sim, sua vida em extinção. Não há nada mais raro que isso. Você voltou, e por favor não vá. Você sabe... vai doer.

jessica moura t.

domingo, 3 de outubro de 2010


Costumo sorrir por qualquer besteira. Não costumo dizer abertamente tudo que penso, minha mente é um mar de segredos. Criei então uma armadura, pessoas não me conhecem facilmente. sou tudo que eu sei, tudo que eu acho, e tudo o que eu sou.,

(autor desconhecido)

sábado, 2 de outubro de 2010

o meu selo de completude


Não se vá mais, eu simplesmente preciso de você aqui. Você é o meu chão, é a minha respiração e não há vida sem você aqui. Senta aqui do meu lado e deixa eu te dizer, ok? É mais do que alguém que me acompanha, é meu complemento. Nada é realmente algo sem você. Semanas distante não foram o suficiente para apagar ao menos um pouco a sua presença. A nossa sintonia, nossa ligação não tem igual, em local nenhum. Ninguém me faz rir como você, ninguém tem essa tamanha falta de modéstia, ninguém é você, entende? Eu te peço que não me deixe mais, eu não posso suportar mais uma vez a tua falta. Porque hoje eu não tenho mais dúvidas do que eu sinto por ti, não preciso de amores casuais e sofríveis só porque você continua sempre aqui, acima de todos eles. Ah, antes de ir tenho mais uma coisa para dizer. Tenho que achar bem as palavras, mas não consigo... Acho que em palavras não se encaixam bem meus sentimentos, é algo enorme. Simplesmente amo você.

shara lima

Que outubro venha com bons ventos, que me traga sorte e amor, que não me deixe sofrer, por favor. Só por um mês, faça tudo dar certo, depois veremos o que vamos fazer em novembro…

(autor desconhecido)

“Como é incômodo estar diante de uma pessoa com quem se trocou emoção intensa e depois cruzar e dizer apenas: tudo bem?

Caio Fernando Abreu